Skip to main content
Ensaio
Notícias
Estrada sem fim
O ódio nunca pode ser um discurso aceitável em democracia. O medo do diverso de nós não pode consubstanciar discursos de ódio. Cada vez que isso acontece numa democracia, esta enfraquece e torna-se mais vulnerável.
As virtudes do direito à greve
A única acção que se deve regular por um critério de proporcionalidade é a definição de serviços mínimos. E essa definição cabe ao Governo, com o maior tacto possível, garantindo os serviços mínimos, sem com isso minimizar o impacto que se espera de uma greve a ponto de constituir um boicote.
“A solidão mata mais do que a poluição do ar, a obesidade ou o tabaco”
Nele contesta a ideia (o culto?) da independência e da individualidade que domina o mundo em que vivemos, e procura mostrar que somos mais o produto da interacção com os outros do que aquele que muitas vezes gostamos de admitir.
Individualismo, desigualdade e solidão
É nos países mais desiguais que as pessoas mais acreditam na meritocracia. É onde há maiores diferenças entre ricos e pobres que encontramos mais pessoas a aceitarem que o mundo é justo e que com esforço qualquer um consegue chegar ao sucesso.
Ambiente: visão, valores e missão
Este século terá de ser marcado por um crescimento mais ambiental, mais ético. Temos que começar a nível individual a dar sinal de que estamos preparados, que queremos essa transição, que o sistema pode mudar.
Sofia Guedes Vaz: “Não é possível crescer ilimitadamente num sistema finito”
Urge adotar novos estilos de vida. Desperdiçar menos, consumir menos. Escolher melhor, sensibilizar mais. Pensar que ‘ambiente’ rima com cidadania, bem-estar e justiça social, e menos com ciclovias e ecopontos. E que devemos sonhar com ética e menos egoísmo.
Ver mais
Aguarde