Skip to main content
Autor
Luís Tavares Bravo
Economista, DIF Capital
Notícias
Os novos desafios da liberdade
Apenas uma economia dinâmica e menos dependente das ajudas europeias permitirá repor a esperança, para as famílias e futuras gerações, de uma melhor qualidade de vida.
Pode a “guerra económica” com a Rússia levar a uma recessão mundial?
A fragilidade europeia vai mais além da dependência energética relativamente à Rússia. Está sobretudo associada à estratégia económica dos países europeus, que é muito assente em exportações e, como tal, funciona mal num sistema de sanções prolongadas.
Danos colaterais da pandemia podem tornar-se riscos estruturais
Os custos económicos e societários associados a uma desigualdade estrutural e divergente na saída desta crise serão elevados e poderão condicionar, a médio prazo, os próprios países mais desenvolvidos.
Desafios decisivos
“O místico é aquele que descobre que não pode deixar de caminhar. Seguro daquilo que lhe falta, percebe que cada lugar por onde passa é ainda provisório e que a demanda continua. Não pode ser só isto. E essa espécie de excesso que é o seu desejo, fá-lo exceder, atravessar e perder os lugares.”
As corporações e a defesa da biodiversidade
Existe uma maior visibilidade na sociedade civil sobre boas práticas das grandes empresas, sobretudo no que diz respeito ao abuso da utilização dos recursos do planeta, e cada vez mais essa perceção tem vindo a ganhar importância pelo conjunto de riscos reputacionais e de litigância com as comunidades.
Que futuro para as pensões de reforma?
“Portugal tem um dos níveis de literacia financeira mais baixos da Europa e isso deve ser corrigido, pois permitirá que mais portugueses procurem alternativas ao único sistema existente, preparando adequadamente a sua reforma em várias frentes.”
Ver mais
Aguarde