Skip to main content
Autor
António Freitas de Sousa
António Freitas de Sousa
Jornalista
afsousa@jornaleconomico.pt
Notícias
Israel: Netanyahu descarta conselhos sobre retaliação
Alemanha e Reino Unido enviaram os seus ministros dos Negócios Estrangeiros a Israel para aconselhar moderação. Mas o primeiro-ministro israelita não se comprometeu com nenhuma moderação.
Israel: economia dá sinais de forte contração
A guerra é muito cara e o Estado hebraico começa a entrar em sérias dificuldades internas, com alguns indicadores (exportações, consumo e investimento) a afundarem rapidamente. Entretanto, o mundo espera uma reação ao ataque do Irão.
Respostas Rápidas. Irão-Israel: a retaliação que se segue
Ninguém acredita que Israel deixará de retaliar a ação que o Irão empreendeu no passado sábado sobre o território de Israel. Pré-anunciada e aparentemente milimetricamente executada, não fez vítimas – e não foi apenas por causa da qualidade da defesa militar do Estado hebraico. A questão é: de retaliação em retaliação, até onde vai a escalada entre os dois inimigos figadais.
Israel: tensão continua a aumentar na fronteira com o Líbano
Com os combates a acalmarem no sul de Gaza, a tensão está agora concentrada na fronteira com o Líbano. A administração da Casa Branca diz, entretanto, que há mais ajuda a chegar ao enclave palestiniano.
“Há pressões internas e externas para que Israel retalie com contenção”, afirma investigador
André Pereira Matos traça os caminhos dos “dois pesos e duas medidas” com que a comunidade internacional observa as posições dos regimes de Telavive e de Teerão. O que transforma a retaliação israelita numa incógnita. E a iraniana num exemplo de contenção.
“Situações económica e financeira do FC Porto são preocupantes”, diz CFO do candidato Villas-Boas
José Pedro Pereira da Costa, o CFO da candidatura de André Villas-Boas ao FCPorto, faz, no podcast “JE Entrevista”, uma abordagem exaustiva do balanço do clube, referindo aquilo que está claramente mal e que pode ser mudado com uma gestão rigorosa e criativa. A poucos dias das eleições, traça o percurso que a candidatura se propõe fazer a seis anos.
Ver mais
Aguarde