Skip to main content
Autor
André Barata
Filósofo, Universidade da Beira Interior
Notícias
Modos de superficializar
A noção de superfície não é inequívoca. A superfície pode separar uma realidade na sua unidade do resto em volta, ou, pelo contrário, ligar realidades, justapostas, conviventes. E é por aqui que há que fazer caminho.
O tempo do depois
Putin está a ganhar a guerra independentemente da resolução da guerra na Ucrânia. Os líderes nacionalistas, mais ou menos xenófobos, iliberais, na Europa ou no Sul, sairão reforçados nos seus territórios de poder, tenham muita, pouca ou nenhuma legitimação democrática.
A interpelação à esquerda ocidental
Boa parte da reacção da esquerda anti-capitalista à invasão da Ucrânia é desastrada, como o foram as suas primeiras reacções à pandemia, porque em ambas as ocasiões se mostrou surpreendentemente incapaz de ler a novidade, de pensar o que não se deduz do contexto passado e das suas lealdades.
Esquerdas, se não agora quando?
O fim da geringonça deve ser encarado como um facto normal numa história em movimento. E os partidos à esquerda do PS devem perceber-se libertados da lógica de utilidade à governação e, de novo, com condições para se afirmarem e diferenciarem.
E se deixássemos a política fora do mercado?
A redundância ideológica não é amiga do pluralismo. Não é que faltem partidos políticos, mas falta-lhes o empenho na inventividade da alternativa, inovação de ideias e práticas que justifiquem o entendimento.
A revolução relacional com a matéria
O conhecimento como o concebemos ao longo da história ocidental tolera pouco limites, mistério, movimentos e ritmos que lhe permaneçam opacos. Ou elimina-os ou subjuga-os. E nisto passa uma questão profundamente política.
Ver mais
Aguarde